Os sistemas mecanizados e robóticos de automação de soldagem da ESAB são sua vantagem competitiva.

Os sistemas de soldagem automatizados da ESAB aumentam a velocidade de deslocamento e deposição, reduzem os erros e melhoram a qualidade e a consistência da solda. Nossas soluções permitem que os fabricantes mantenham a produção interna e aumentem a produtividade com os recursos existentes.

Inovação em automação de solda da ESAB

Os sistemas de automação de solda da ESAB resolvem os desafios mais difíceis de hoje nas indústrias mais exigentes, incluindo energia eólica, petroquímica, GNL, offshore e construção naval. Em comparação com a soldagem manual, os sistemas automatizados se movem mais rápido, não precisam parar para reposicionamento e permitem a soldagem com parâmetros mais altos e/ou fios de maior diâmetro. Ao fazer soldas contínuas, a automação reduz o retrabalho associado a defeitos de partida/parada. Em aplicações onde os clientes esperam perfil e penetração uniformes do cordão de solda, os sistemas mecanizados, robóticos e automatizados proporcionam consistência, reduzem a soldagem em posições desconfortáveis e reduzem a exposição do operador a fumaça e radiação UV.

Além do equipamento de soldagem automatizado, a ESAB também oferece os processos de soldagem automatizados mais produtivos do setor. Nossa tecnologia de arco submerso de eletrodo frio integrado, ou ICE, utiliza um terceiro fio eletricamente isolado entre e paralelo a dois fios quentes no mesmo maçarico. O calor gerado pelo processo de soldagem derrete um terceiro eletrodo de soldagem não energizado, aumentando as taxas de deposição e/ou velocidades de deslocamento sem adicionar mais energia à solda. Como resultado, o ICE oferece resistência a baixas temperaturas imbatível juntamente com produtividade inigualável.

Como resultado da pesquisa de velocidades de alimentação de arame rápidas, a ESAB introduziu o processo Swift Arc Transfer (SAT). Esse processo GMAW de transferência por pulverização aprimorado usa velocidades típicas de alimentação de arame de 16 a 25 m/min. Ele produz velocidades de deslocamento de soldagem que variam de 20 a 100 por cento mais rápido do que as soluções convencionais (veja os detalhes do estudo de caso abaixo) e é pelo menos 10 por cento mais rápido - em uma configuração de produção real - do que qualquer outro processo GMAW avançado que a ESAB encontrou.